A World View é uma empresa de media e uma experiência.

Somos uma empresa com fins lucrativos. Ainda assim, esforçamo-nos para criar valor para os outros, para o nosso ambiente e para a sociedade como um todo. Nunca permitiremos que uma opinião ou perspectiva seja comprada. Estamos abertos a críticas, opiniões e aceitaremos responsabilidade sobre o nosso impacto.

Acreditamos que todas as vozes merecem ajudar a construir as narrativas das suas comunidades. Nunca iremos censurar uma perspectiva partilhada em boa fé. Também nunca iremos tolerar comportamento opressivo ou discurso de ódio. Isto inclui racismo, sexismo, classismo, transfobia, homofobia, gordofobia, capacitismo, idadismo, masculinidade tóxica, misoginia, antissemitismo, islamofobia, etnocentrismo ou imperialismo.

Acreditamos que, quando usada correctamente, a tecnologia tem o poder de transformar as nossas relações, a nossa capacidade de comunicar e o nosso mundo. Nós iremos promover inovação, sustentabilidade e justiça na nossa abordagem à tecnologia. Iremos reinventar estratégias actuais - a recolha de dados dos utilizadores, perfis de utilizador individuais, secções de comentários tóxicas e algoritmos que reforçam preconceitos - para repensar o potencial das nossas e de espaços offline.

Acreditamos que a nossa organização interna deve ser a principal reflexão dos nossos valores. Investiremos no nosso próprio desenvolvimento, tomaremos conta uns dos outros e criaremos espaço para conversas abertas e francas.

Escolhemos celebrar, apreciar e partilhar tudo o que temos.
Escolhemos repensar as estruturas de poder que controlam o nosso acesso a conhecimento.
Escolhemos honrar as opiniões recebidas, ouvindo e aprendendo uns dos outros.

Team


C. Benedict
Começou a trabalhar na World View como o seu projecto final na Kaospilots. C. viveu e viajou à volta do mundo, tem uma vasta rede de colegas criativos e solidários e criou a fundação para que a equipa seja bem sucedida. C. ganhou capacidades de liderança ao estudar liderança criativa e desenvolvimento organizacional e ao trabalhar em projectos ao redor do mundo com diversas equipas.
cbenedict@worldview.news

K. Strube
Estuda Ciência Computacional na Universidade de Aarhus e lidera o desenvolvimento da plataforma web da World View. K. começou a programar desde cedo e ganhou competições de empreendedorismo, incluindo o Campeonato Europeu de 2016. K. tem experimentado diversas frameworks e de momento trabalha com .NET porque tem sido melhorada ao longo dos anos para atender a uma variedade de necessidades. Antes da World View, K. criou o primeiro protótipo da Subreader, o que levou ao seu desenvolvimento continuado.
kstrube@worldview.news

A. Poisson
A viver em Bruxelas, é uma activista feminista franco-americana, editora e organizadora da comunidade. A. deixou a academia depois de completar um mestrado em filosofia na Universidade Católica de Leuven para se focar em espaços alternativos para a partilha de conhecimento. Para além da World View, A. é membro fundador e faz parte da direcção da Guerrilla Resistance, uma plataforma para arte e discussão queer e feministas em Bruxelas e é responsável pela comunicação de uma instituição Europeia de direitos das crianças.
apoisson@worldview.news

Conselheiros


H. Ruddies tem experiência em Empreendedorismo Social, Design Thinking, Gestão de Eventos, Comunicação Intercultural e Actividade Comercial Internacional. H. tem uma paixão por perceber como podemos construir condições de diversidade para alcançar sucesso com a ajuda de ferramentas de liderança e empreendedorismo social. Nos últimos quatro anos, H. tem sido parte do Impact Hub e lidera a estratégia de expansão global, focando-se em desenvolvimento de equipas, empreendedorismo social e diversidade.

C. Duncan é um cineasta, autor, fotógrafo e presidente do The Duncan Group, Inc., uma empresa de produção de documentários formada em 1984. C. filmou em mais de quarenta países. Os documentários especiais para televisão e séries de documentários de C. ganharam mais de 125 prémios nacionais e internacionais. O seu trabalho foca-se em encontrar soluções para problemas sociais, culturais e ambientais. C. tem participado em empreendedorismo social desde antes do termo ser facilmente percebido.

M. Javidiani é um premiado designer sistémico e investigador dedicado a desembaraçar complexidades, melhorar a experiência dos utilizadores e promover respostas engajadas e centradas no humano para problemas. M. tira partido de um conjunto de competências diverso que advém de uma base em Investigação em Experiência do Utilizador (UX), Design Sistémico, Design de Serviços e Estratégia de Design. M. tem um mestrado em Visão Estratégica e Inovação da Faculdade de Arte e Design da Universidade de Ontario.

I. Santos Silva é uma Conselheira de Estado para o Secretário de Estado da Indústria português. Anteriormente, I. cofundou a Startup Pirates , um programa de pré-aceleração de uma semana para aspirantes a empreendedores; a PortugalStartups.com , um portal de notícias sobre o mundo das startups portuguesas; e o Trojan Horse was a Unicorn , o melhor evento para artistas digitais do mundo. I. é alumna do programa de estudos avançados da Singularity University e do THNK, Escola de Liderança Criativa, e também faz parte de networkd como a Global Shapers e a Sandbox Network.

X. Denis é um engenheiro de software Francês que trabalhou como Engenheiro de Confiança do Website para a Shopify, a maior plataforma de e-commerce. Na Shopify, X. focou-se em garantir estabilidade e em criar ferramentas para recuperação de desastres. Agora, X. quer aplicar este conhecimento a projectos de interesse público como a World View, de forma a que não sejam apenas as grandes corporações a poder beneficiar de tecnologia de confiança e escalável.